NECESSITO DE PLANEAMENTO ESTRATÉGICO?

Ao longo de todos estes anos de consultoria, temos sido muitas vezes confrontados por gestores com alguma experiência, com a seguinte questão: porquê devo agora enveredar pelo Planeamento Estratégico? Essa questão tem muitas vezes como origem o facto desses gestores terem alcançado um relativo sucesso durante os seus anos de actividade, e não sentirem, segundo eles, a necessidade do Planeamento Estratégico. Dizemos ‘relativo’ porque sem uma planificação adequada, nunca saberemos se poderiam ter feito mais ou melhor, com os recursos à sua disposição e no contexto em que se encontravam.

Como diz o adágio: “Mesmo um relógio de cordas avariado está certo duas vezes ao dia”.

O mundo dos negócios está em permanente mutação, alterações e instabilidade (pensou na COVID certo?) são uma constante e devem fazer parte do seu dia-a-dia, enquanto gestor. Essa verdade por si só deveria ser motivo bastante para o levar a prestar atenção ao Planeamento Estratégico mas, surpreendentemente, muitos destes gestores argumentam: “Se as mutações são constantes, porquê planear o futuro já sabendo que ainda assim imprevistos ocorrerão?”.

Este pensamento é partilhado por muitos gestores, que consideram um ‘desperdício de tempo’ planear para algo que tem a probabilidade em quase 50% de necessitar de ajustes. Falamos sobre estes gestores no artigo Gestão de Kimbundo

Como explicámos a estes gestores, é justamente a existência do planeamento estratégico que os tornará mais preparados para as mudanças. O planeamento estratégico auxilia na compreensão das mudanças do ambiente externo e interno, no reconhecimento dos problemas que podem surgir ao longo do caminho e na identificação das oportunidades de melhoria. 

Portanto, mesmo que o mercado esteja em constante transformação, necessitará de um plano que o direcione/oriente.

Existe uma série de requisitos que o planeamento estratégico deve cumprir: 

1. Definição dos objectivos. O ponto central do porquê fazer um planeamento estratégico, a definição dos objectivos e estratégias a serem adoptadas pela organização por um determinado período de tempo. Será a bússola que norteará o gestor em relação ao que precisa ser feito; 

2. Criação de um plano de acção

3. Monitorar o mercado, incluindo a concorrência, clientes e fornecedores; 

4. Analisar e agir sobre as forças e as fraquezas internas; 

5. Identificar e agir sobre as oportunidades e as ameaças do ambiente externo.

O planeamento estratégico, com metas previamente estabelecidas, e métricas definidas, auxilia a organização como um todo a seguir em direção de seus objectivos e a corrigir o rumo, caso seja necessário.

Sem ele, as acções não são coordenadas e os objectivos (se é que foram definidos) dificilmente são atingidos, o que significa que os resultados não aparecem.

Mas como garantir a melhor definição e implementação do plano estratégico? Contacte-nos.

VANTAGEM COMPETITIVA