"BATER CAFÉ"
O MARKETING DE GUERRILHA

Nos nossos tempos de infância era comum antes de uma peleja, ‘trumunu’ ou medição de força, os envolvidos cumprirem com um ritual a que se denominava “bater café”, que consistia em bater nas mãos carregadas de areia, de uma terceira pessoa, que naquele momento simbolizava o juiz. O bater nas mãos do juiz era a afirmação de prontidão para o desafio.

O momento por que passam as empresas por todo mundo, e em particular no nosso país, a crise financeira, e a crescente concorrência; obrigam os estrategistas a gizar técnicas reactivas ou proactivas, de modo a vincar o seu posicionamento no mercado.
Este ambiente de, pouco ou nenhum negócio para muitos operadores, leva a um confronto directo e ferrenho entre competidores, um desafio a bater o café.

Enquanto algumas empresas esperaram pelo surgimento destas alterações no mercado para identificá-las, estudá-las e atendê-las com suas soluções de produtos e serviços (Marketeer Reactivo), outras numa postura mais ousada, decidiram antecipar e criar a mudança (Marketeer Proactivo). Com essa atitude, a empresa coloca-se na frente dos seus concorrentes e impacta o mercado com uma novidade. Porém, corre o risco da não-aceitação pelos consumidores.

Este stand off cria a necessidade de se reinventar e encontrar soluções criativas. O Marketing nas suas muitas formas, oferece o espaço perfeito para essa inovação. Uma delas, que tem vindo a ganhar espaço pelo impacto que causa e que recomendamos para instituições em situação de competição é o chamado Marketing de Guerrilha. Um confronto directo (bater café), em resposta ou adiantando-se a concorrência.

O Marketing de Guerrilha é uma estratégia focada na comunicação criativa e pouco convencional de um produto ou serviço, sendo, por vezes, até mais agressivo que outras formas conhecidas de divulgação. Quando bem-estruturada e aplicada é uma estratégia de comprovado sucesso. Como exemplo é a guerra por quota de mercado entre a McDonalds e a Burguer King ou entre a Pepsi e a Coca Cola.

O diferencial reside na abordagem. Hoje em dia, todos nós somos bombardeados com um volume excessivo de informações, aliadas a necessidade de ‘fazer acontecer já e agora’, o que nos torna insensíveis às estratégias de comunicação convencionais. Ninguém quer ser incomodado por acções de comunicação inconvenientes. O Marketing de Guerrilha, por outro lado, é feito para ser tão chamativo que se torne impossível de ignorar, criando acima de tudo uma impressão duradoura na mente dos clientes.

Mais ainda, o foco está em provocar uma reação no seu alvo, talvez por fazê-lo reavaliar suas prioridades e hábitos pessoais, métodos de trabalho ou mesmo por “cutucar” um concorrente de modo directo. 

Comece por:

Identificar o seu segmento alvo;

Conhecer seus concorrentes;

Seja original na sua abordagem, mas fiel a sua identidade;

Valorize as parcerias;

Avalie os resultados.

Perca o medo de bater o café!! Contacte-nos

NEGÓCIO FAMILIAR
É possível o seu Negócio sobreviver depois de si?